25 de jun de 2007

Gran Cabaret Demenzial


O livro "Gran Cabaret Demenzial" (Cosac Naify, 2007), da gaúcha Veronica Stigger, fornece material para a próxima apresentação do projeto "Teatro de Livro", de formato situado entre leitura e montagem - hoje, às 21h, no Espaço dos Satyros -- pça. Roosevelt, 124, Centro, São Paulo -- (...) A peça, dirigida por Laerte Késsimos, tem perfume de improviso, portanto, funciona mais como apresentação estilizada da obra de Stigger. No livro, vários contos atravessam o cotidiano de vidas urbanas, histórias que começam de maneira bastante trivial mas que, como lembra Késsimos, vão dando vazão a imagens absurdas, "com um pé no surrealismo". Uma menina que vai passear de carro com o namorado e no percurso tem seu corpo dilacerado por impactos (físicos e psicológicos) dos mais diversos exemplifica a simbologia da autora novata. Ainda desfilam pelo palco personagens que trazem para suas características físicas - são anões, deficientes, magrelos espichados, seres de cabeça grande - deformidades sociais. Um dos contos, sobre um casal que sofre um acidente de carro e, na tentativa de escapar das ferragens vai se machucando ainda mais, é exibido em forma de curta-metragem, com cenas gravadas em um desmanche localizado na rodovia Raposo Tavares. As leituras e encenações utilizam os contos na íntegra. Alguns poemas que também fazem parte do livro foram musicados por Vanessa Bumagny.Narrados nas vozes de todos os atores - entre eles, Alberto Guzik e Ivam Cabral 'junto de outra gaúcha', Cléo De Páris (na foto com Fábio Penna) -, são acompanhados por violão e guitarra. Após a encenação, também haverá coquetel e sessão de autógrafos. >> f o n t e Gustavo Fioratti Folha de S. Paulo 25/6/2007 >> f o t o Leandro Moraes